O grande dilema: cachaça Ouro ou Prata?

004.png

Não é de hoje que se ouve comentários como 'a branquinha é mais pura' ou 'qualquer uma dá na mesma'. Quando o assunto é cachaça, a cor faz diferença sim e você precisa saber como cada uma é produzida para entender suas peculiaridades.

O processo produtivo da cachaça envolve várias etapas. Uma das últimas fases é o armazenamento da bebida, que acontece logo depois que o produto é destilado. Nessa etapa, a cachaça precisa ser estocada até que o processo de envaze (engarrafamento) comece.

O líquido que descansa em tonéis de aço inox não sofre nenhuma alteração na cor e no sabor. Isso garante que a bebida fique completamente transparente. Nesse caso, a cachaça que passa por esse processo é chamado de cachaça prata.

Já a cachaça que fica armazenada em tonéis de madeira pode sofrer alterações, tanto no sabor quanto na cor, e esses detalhes importam muito.

A Morro Vermelho utiliza, além dos tonéis de aço inox, tonéis de jequitibá no processo de armazenamento do produto destilado, a fim de suavizar o sabor da cachaça. Dessa forma, ela fica menos ácida e absorve as agradáveis propriedades olfativas e gustativas da madeira.

A cachaça que fica armazenada em tonéis de jequitibá branco adquire os tons amadeirados no sabor, mas não altera a sua cor, resultando em um líquido completamente transparente. Mesmo estando em contato com a madeira por dois anos ou mais, ela não deixa de ser considerada uma cachaça prata, pois a tonalidade se mantém inalterada.

Já a cachaça que envelhece em tonéis de jequitibá rosa adquire aquela famosa cor dourada, que deixa o líquido bonito e com o tom bem característico da bebida. Essa alteração na coloração permite à cachaça adquirir o status ouro. Seu sabor também adquire tons amadeirados e fica mais suave, pois perde acidez no processo.

Agora que você já sabe que a Morro Vermelho possui cachaças prata e ouro, é hora de conhecer a nossa loja virtual: clique aqui e navegue entre as cachaças para escolher a sua. Se tiver dúvida, leve todas!